A Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia Estadual de Investigações Criminais (Grupo de Repressão a Estelionatos e outras Fraudes – Gref), deflagrou nessa quarta-feira (29) a Operação Pick-ups, para desmantelar grupo criminoso especializado em crimes de estelionato e outras fraudes em ambiente eletrônico. A investigação começou em 2021, quando uma famosa loja de acessórios de Pick-up de Goiânia teve prejuízo de R$ 400 mil. A PCGO identificou 40 vítimas em 9 Estados brasileiros (GO, MG, SP, RJ, CE, PE, SC, PR e RS), prejuízo total de R$ 1 milhão causado pelo grupo criminoso formado por 23 integrantes. Foram cumpridos 17 mandados, entre prisões e buscas e apreensões, com apreensão de 10 veículos (uma Mercedes GLA, HILUX, COROLLA etc), além de cerca de R$ 20 mil em espécie, dezenas de chips e aparelhos celulares.

Os investigados faziam contato via whatsapp com lojistas de todo o país para compras a distância e pagamentos, via links. Finalizada a negociação, os links eram preenchidos com dados de cartões de crédito fraudulentamente emitidos. Num primeiro momento, a compra era aprovada e tempos depois ou até dias após, a área de segurança bancária percebia a fraude e estornava os pagamentos. No ato de aprovação da compra, o grupo criminoso pressionava a liberação imediata do bem com a respectiva nota fiscal, criando diversos subterfúgios para esta urgência a fim de que o bem fosse retirado antes da fraude ser revelada. A retirada do bem era feita, em grande parte, por fretistas alheios à prática criminosa. No entanto, estes fretistas nunca chegavam ao destino do comprador falsário, pois as mercadorias eram interceptadas por outro fretista em alguma parada. A operação teve apoio do Geic de Caldas Novas e de Quirinópolis e das Polícias Civis de Minas Gerais e Rio de Janeiro.

O texto da publicação continua após a publicidade